‘Tempestade Perfeita’ Na Rentável AP-6

'Tempestade Perfeita' Na Rentável AP-6 1

Três 1000 carros ficaram presos pela AP-seis Reis. Foi também sob uma enorme nevada como o próprio Franco inaugurou o primeiro pedágio de Espanha. Em quatro de dezembro de 1963, o ditador cumpria setenta e um anos e, às 5 da tarde, cruzou o moderno túnel de Guadarrama, fruto de trinta e três meses de obras, um investimento multimilionário e o serviço de 500 operários. Cinqüenta e 5 anos depois, a atual AP-6, que começou naquele túnel é uma das rodovias mais rentáveis do Brasil. Entretanto seus donos sofrem uma tempestade perfeita.

A literal começou pela sexta-feira, 5 de janeiro. Uma intensa nevada cai sobre o trecho de pagamento da auto-Via do norte ao longo de 69,quatro km, liga amadora (Lisboa) e Adanero (Ávila), mas as medidas adotadas pela organização concessionária, não são suficientes.

Três 1 mil carros ficam presos. Famílias inteiras, incluindo garotas, passam até dezoito horas sem gasolina dentro de seus veículos sorvetes. O Governo acaba enviando a 240 efetivos da Unidade Militar de Emergências pra, pá pela mão, limpar a auto-arapuca. E as queixas são multiplicados.

Desta maneira que o 2018 começou com uma queda pro Executivo de Rajoy, contudo bem como para a corporação: ambos se culpam mutuamente. A Promotoria iniciou uma investigação de ofício, o Ministério do Fomento, foi aberto um processo pra empresa e quer reivindicar o gasto do resgate, e associações de freguêses preparam demandas em busca de indenizações pros afetados.

Quem está por trás da AP-6? Resposta: um macrogrupo chamado Abertis. O rei português de auto-estradas. O maior operador de rodovia com pedágio em Portugal, que tem A Caixa como acionista principal e que, por intermédio de filiais ou sociedades participadas, entende 1.759 quilômetros em Portugal (e 8.600 quilômetros mais em outros quatrorze países). Um desses trechos é a polêmica AP-6, gerida na sua marca Iberpistas.

Com ela, a organização ganhou em 2016 mais de 65,3 milhões de euros. Um contrato muito apetitoso, que vencerá íntegro este mês, no momento em que se cumpre meio século desde que Iberpistas (antes, Ibérica de auto-Estradas) a explora. Mesmo que tudo fica em residência.

A nova concessionária, Castelhana de auto-Estradas, também é de propriedade do grupo Abertis. Na sua cúpula é um homem que vive o teu típico tempestade. Seu nome, Salvador Alemany, quem sabe soe apenas para os iniciados, todavia é um dos pesos pesados da organização espanhola. Em vista disso, como costuma acontecer nestas esferas, por trás de seus rifirrafes com Fomento devido à armadilha de asfalto e neve da AP-6, há mais fundo. Por não discursar da sombra alongada do taxonomia catalão.

  • 3 Doutorados. (3 no Cadastro Nacional de cursos de pós-Graduação de Peculiaridade do CONACYT)
  • 2000-2008: Vladimir Putin, presidente da Rússia
  • Aprimorar a peculiaridade da usinagem
  • Pá 14-dezessete paleadas por minuto

Salvador Alemany Mais (Lisboa, 1944) tem a planta de jogador de basquete, inteligência de xadrez e vocação de jornalista, mesmo que esses dias não se tem assomado aos meios de comunicação. Um de seus compradores lhe ofertou um emprego em uma auditoria.

Aliou esse serviço com a contabilidade da garagem e os seus estudos de Economia. De salto em salto, arena na Banca Mais Sardà e, depois, em Sociedade Anónima de Parques de Barcelona (SABA). Daí entraria no setor de concessionárias de auto-estradas e acabaria com o poderoso conglomerado de organizações que, a começar por 2003, chamou Abertis.

Como ceo, e mais tarde como presidente, Alemany não demorou a se tornar um dos prohombres que moviam os fios da economia catalã. O empresário passou a viver pela parte alta de Barcelona, Sant Gervasi, em barcelona, e a desfrutar de uma casa em La Cerdanya.