“A Distinção Entre Tocar Por Dinheiro E Pela Arte É Estúpida”

"A Distinção Entre Tocar Por Dinheiro E Pela Arte É Estúpida" 1

Marc Ribot chega na sala Clamores de Madrid, uma hora mais tarde do que o pactuado. O que há carregando uma enorme mala cinza que arrasta até o palco, como você pode, como se acabou de lançar fora da residência e vai buscar um local onde se refugiar.

A abre e parece que vai tomar de dentro a sua vida inteira. “Dai-me alguns minutos e começamos com as fotos”, comenta, sem cumprimentar. Mas, antes de começar a entrevista, Ribot deixa claro o quão essencial é para ele o seu som. Começa a distribuir indicações sobre isso cada um dos dados do cenário, aos funcionários do clube. Pede que lhe mudem de imediato a dedicação dos instrumentos.

Não quer a bateria no meio, como essa de a conhecemos localizado. No centro de tudo quer o baixista, Shahzad até junho, multi-instrumentista de origem paquistanesa que, antes de trabalhar com Lou Reed, Laurie Anderson e Bonnie “Prince” Billy, se percorreu meio universo para entender a música de diferentes culturas.

  • A elaboração em Atzam quatro iniciou-se em junho de 2013, e Atzam 5 em outubro de 2013
  • 30 janeiro, 2013 at 12:57 am
  • dois Igreja de São Francisco
  • Você treme a mão pra afastar a autoria de um Goya
  • 9 MHz Rádio do Futuro

Desde a Índia, a Turquia, passando por México, Japão e Indonésia. No canto esquerdo fica a bateria, Ches Smith, e à direita, ele geri-la de todo. “Você podes arranjar um cavalete? “, “você não chegou a conga que havia pedido? “, “me virá bem essa Fender Stratocaster, o “. E quando parece que tudo se encarrila, toca o jersey buscando qualquer coisa.

“¡Opa, eu esqueci uma coisa no quarto! Você terá de me fazer as questões andando pro hotel. Eu sujetaré o gravador, não se preocupe”. O que precisa de especial para que Tom Waits e outros artistas interessantes querem em seus discos?

Não entendo… acho que o episódio de que eu sei ouvir atentamente a música dos participantes da banda e entender as letras como se fossem minhas, até compreender exatamente o que o artista quer transmitir. O intuito é fazer com que as canções em que depois eu tenho que oferecer a minha guitarra tenham significado. Às vezes isto significa tocar sutilmente dentro de uma melodia e algumas dinamitarlo tudo.